domingo, 19 de abril de 2015

Bebé ía


Ele veio roubar-lhe o colinho da mãe e ela no primeiro mês não achou muita graça...
Depois ela convenceu-se que ele fazia mesmo parte da casa e da família. Estava lá todos os dias, dormia numa cama nova, chorava algumas vezes e todos corriam para o calar e dar mimos, bebia leitinho da maminha da mãe a toda a hora (e ela uma vez até pediu para experimentar, mas depois não teve coragem!), enquanto ele dormia ela voltava a ter todas as atenções para ela, tanto dos pais como dos manos, na hora do banho ela ajudava sempre e podia esfregá-lo com gel de banho, ele até lhe emprestava os novos brinquedos para ela brincar... afinal, não era assim tão mau ter este "bebé ía" em casa!
O tempo passou, e ele passou a interagir mais com os manos e com ela. E assim tinha mais graça! Ela dava-lhe beijinhos e alguns apertões de amor. Ele, às vezes, chorava com tanto "carinho", mas ela apressava-se a dizer "cupa, bebé ía" e ele desculpava-a mesmo.
Agora são muito cúmplices e adoram-se pois enquanto os manos estão todos na escola, eles ficam em casa com a mãe e brincam e brincam e brincam... e até já aprenderam a dividir o colinho da mãe sem choradeira!
 
Entretanto, o bebé ía foi promovido a Zé Maria e não só...
Há uns dias fomos passear e uma senhora meteu-se com ela:
- Que menina tão gira! Como te chamas?
- Carlota cambalhota!
- E o teu mano ali no carrinho?
- Zé bolas!
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

3 comentários: